O Bigviagem é um blog destinado ao tema turismo, mas pelo fato de ser brasileira e estar a viver em Portugal, recebo diariamente muitos emails com questões sobre algumas coisas que acho importante responder. Se eu puder ajudar a esclarecer e dar alguma dica que possa ser útil para quem pretende viver em outro país fico muito feliz. Por isso hoje o post refere-se a: Como é morar em outro país?

Como é morar em outro país?

Quando fazemos uma viagem de férias muitas vezes nos encantamos com alguma cidade ou algum país, e logo uma das coisas que nos vem ao pensamento é que talvez fosse bom mudar de vida, de ares, de cidade, de país (às vezes de planeta). Comigo aconteceu assim, conheci Portugal e me apaixonei instantâneamente. Voltei para o Brasil depois de lindos e inesquecíveis dias de férias e nunca mais consegui tirar Portugal do meu coração e do meu pensamento.

Desde então, todas as minhas forças se concentraram em mudar-me para Portugal, que como costumo dizer é verdadeiramente a grande paixão da minha vida. Amo este país, o clima, o frio, as praias, a história, a arte, a arquitetura, tudo, tudo…. Pois muito bem, decidi que Portugal seria o local que eu queria viver.

A decisão culminou com muitas coisas, um sonho de criança uniu-se essencialmente ao fato de estar farta do Brasil e de algumas coisas que acontecem por lá. Você pode estar agora se perguntando se eu não amo o meu país? Eu respondo. Sim, amo, sou de São Paulo, e acho uma cidade grandiosa em todos os aspectos; amo meu país mas isso não significa que eu o defenda cegamente e não reconheça as coisas menos boas que ele tem. Posto isso, e voltando a falar sobre como é morar em outro país, digo-lhes que é ótimo.

Viver em outro país nos faz aprender muito sobre os outros e sobre nós mesmos. Agora vamos desmitificar o que muitos pensam sobre como é  morar em outro país. Novamente achei melhor separar por itens para facilitar o racíocinio.

* Quem mora em outro país é porque é rico

Errado. O fato de ter mudado de país e ir viver na Europa, no Canadá ou nos Estados Unidos não tem nada a ver com ser rico. Tem a ver com escolhas e opções de vida. Óbviamente que há muitas pessoas com boas condições financeiras e que optam por mudar de país e tem os pais no Brasil para os bancar no exterior. No geral não é assim.

* Porque mudar de país

Há muitos motivos. Profissionais, afetivos, pessoais, familiares. Vontade de expandir horizontes culturais, necessidade de encontrar um trabalho digno e que permita o mínimo de sobrevivência, ter uma condição de vida (saúde, escola, segurança, etc) melhor do que a você tem em seu país, etc.

* Dia-a-dia em outro país

Por vezes observo que algumas pessoas acham que viver em outro país significa passear todos os dias e conhecer os milhares de pontos turísticos, ir e vir, viajar, curtir, sair para “balada” com os amigos, etc. Sim, isso também ocorre. O dia-a-dia em outro país é a mesma coisa que se você estivesse vivendo no seu país.

Provavelmente você terá que trabalhar e cumprir horários, mesmo que lá fora esteja a nevar. Você terá suas obrigações e afazeres domésticos, limpar, lavar roupa, passar roupa, cozinhar, ir ao supermercado, fazer compras, etc. Sair com os amigos, jantar fora, passear também faz parte deste dia-a-dia, mas não só.

* Saúde

Você também fica doente em outro país. Você vai ao médico, você vai ao hospital, você compra remédios, você tem gripe, você tem dor de cabeça, etc…etc. Provavelmente o atendimento será melhor do que o atendimento que você terá no Brasil. Não digo no quesito simpatia, não nada disso, digo no quesito competência. Em quase 95% das vezes que utilizei o serviço médico em Portugal, posso dizer que fiquei satisfeita.

* Alegria x Tristeza

Insisto na palavra desmitificação, morando em outro país você também fica triste, chora, sente saudades, sente raiva, sente ciúmes, tem dias em que não quer ver a cara de ninguém, tem dias que quer ficar sozinho, tem problemas com vizinhos, encontra alguém de mal humor na rua.

Morando em outro país você também é enganado, traído, mal tratado, humilhado, espezinhado, etc.

Morando em outro país você também tem seus dias de felicidade, bom humor, alegria, inspiração, animação, vontade de passear, conversar, vontade de rir de coisas banais.

Morando em outro país você também encontra pessoas bem humoradas, que te tratam com educação, que são simpáticas, que tem boa índole, etc.

* Saudades

Lembre-se que você está em outro país e inserido numa outra cultura comportamental. Há dias em que você vai sentir saudades de si próprio. Vai sentir saudades daquela pessoa que você era no seu país. Há dias em que você vai chorar de saudades da tua cidade. Há dias que você vai sentir uma enorme saudades daquele restaurante delicioso que você ia toda semana comer aquela comida especial, você vai sentir uma imensa saudades de sentar com seus amigos brasileiros e “jogar conversa fora”, rir, brincar, planejar o que vão fazer no fim de semana, etc. Se você tiver família, você vai sentir uma enorme saudades da sua mãe e muitas vezes vai querer sentar no colo dela e chorar até não mais poder. Há dias em que você vai sentir saudades até das coisas ruins que tinha a sua cidade e que você sempre tanto reclamou. Há dias em que você vai sentir saudades de calor humano, de um ombro amigo, de alguém com quem você pode falar o que te apetece sem medo de ser julgado ou mal interpretado. As coisas boas que te ligam as tuas raízes, aquilo que te aconchega a alma, que te faz sentir aceito,  tudo isso tenho quase certeza de que você não vai ter,a não ser no seu país.

* Compras

Quase certeza absoluta de que em outro país você não vai encontrar muitas coisas com as quais está acostumado ou acostumada.  No início você vai sentir falta da loja que você costuma comprar o seu calçado preferido, a loja onde você costuma comprar suas lingeries e que só aquelas é que te ficam bem, vai ficar indignada porque não consegue encontrar algum ingrediente especial para fazer aquele prato delicioso que você aprendeu na sua terra, etc. Acostume-se com o tempo isso passa e você se adapta a tudo.

* Burocracia

Este item relacionado a documentação x consulado, digamos que é um dos que mais me tiram fora do sério. O meu conselho é que antes de decidir ir para qualquer país, seja China, Guatemala, Noruega ou Portugal, veja toda a documentação necessária que por ventura você necessitará. Nem sempre o consulado ajuda. Há coisas que eu supunha facilmente conseguir resolver pelo consulado e não foi assim e parece que nunca será. Se você tiver alguém no Brasil que possa providenciar qualquer documento que você precise fica mais fácil, não é o meu caso, então tudo se torna caótico.

* No mais creio que quem sonha ou deseja mudar de país deve estar preparado emocionalmente para o bem e para o mal. Por vezes vejo alguns vídeos  no Youtube de pessoas que mudaram de país e “pintam” a cena com todas as cores do arco-íris como se não houvesse amanhã e tudo fosse muito fácil, tudo muito lindo, chic, glamuroso.  Pessoal, isso é uma pessoa em um milhão. Não há nada de anormal em mudar de país, é uma vida como outra qualquer com obrigações e deveres da mesma forma como se você estivesse no Brasil.  Fica aqui também o alerta para as falsas promessas de empregos com altos salários, e outras promessas romãnticas que “pipocam” pela internet a fora em busca de presas  (homens e mulheres) incautas.

Boa sorte! 😉