Palacio da Pena - Foto de Carlos Luis M C da Cruz (Wikipédia)

Hoje vou falar de um lugar muito especial para mim, o Palácio da Pena. O Palácio da Pena ou também conhecido como Castelo da Pena, localizado em Sintra (Portugal) é uma dos mais belos pontos turísticos do mundo. Ele é o conjunto que reflete o mais completo e notável exemplar de como era  a arquitetura portuguesa na época do romantismo. Além do Palácio da Pena em si que é um monumento a ser admirado, a paisagem em volta faz com que ele seja digno de uma pintura.

A região possui um micro-clima diferenciado e único, em Lisboa podemos ter sol, mas ao subir as estradas íngremes que levam ao Palácio da Pena nos deparamos com um nevoeiro deslumbrante e denso, mas que apesar disso não nos priva de vislumbrar vários palacetes e uma densa floresta repleta das mais belas espécies da flora.

Palacio da Pena – Foto de Carlos Luis M C da Cruz (Wikipédia)

Pena em português arcaico significa ‘rocha, segundo contam lá por volta de 1500 foi encontrada em uma rocha a imagem de Nossa Senhora, ninguém sabe como foi parar lá a imagem desta santa;  o rei D. Manuel I decidiu então lá construir um convento para a Ordem de São Jerónimo, que abrigaria na altura apenas 18 monges. Muitos anos se passaram, e após o terremoto de 1755 que assolou Lisboa, o convento ficou parcialmente  destruido.

Em 1838, D. Fernando de Saxe Coburgo-Gota casado com a então rainha D. Maria II decide comprar o velho convento em ruinas, e arredores (Castelo dos Mouros, quintas, e matas circundantes). A paixão de D. Fernando II por Sintra  e seu gosto refinado pela arte, sua cultura e educação alemã fizeram com que ele dedicasse muitos anos de sua vida a reconstruir um castelo dos sonhos, o Castelo de Pena! 🙂

Palacio da Pena – Foto de Kátia Pinheiro (Arquivo pessoal). Nesta foto vocês podem observar o nevoeiro que existe no local.

O antigo convento deu origem ao atual Palácio da Pena que foi então reconstruido segundo o projeto do mineralogista germânico Barão von Eschwege, arquitecto amador! Na verdade, do mosteiro só foram aproveitados o claustro em estilo manuelino e a capela renascentista.

Palacio da Pena – Sintra – Foto de Kátia Pinheiro (Arquivo Pessoal)

O prédio é em sua maioria Romântico, mas tem toques de outros estilos. Segundo o gosto impar de D. Fernando, o Palácio da Pena recebeu decoração diferentes para cada cômodo do palácio, atualmente o mesmo se encontra ainda com a mobilia da época. Destaco em especial a sala árabe, com móveis estilo mouro, a sala chinesa com móveis feitos com  lindas incrustrações em madre-pérola e os aposentos pessoais da rainha.

Palacio da Pena – Foto de Kátia Pinheiro (Arquivo pessoal)

Com a morte da rainha D. Maria II, D. Fernando contrai nupcias com uma cantora de ópera Suiça, a Madame Elisa Hendler, Condessa de Edla. Após a morte de D. Fernando, o palácio seria deixado para a sua mulher, a Condessa de Edla, o que gerou uma grande controvérsia pública, dado que se considerava já o histórico edifício como monumento.

A viúva de D.Fernando procurou então chegar a um acordo com a o Rei e recebeu uma proposta de compra por parte de D. Luís, em 1889, em nome do Estado, que aceitou, reservando então para si apenas o Chalé da Condessa, onde continuou a residir. O Palácio passou então para o património nacional, pertencendo ao património da Coroa durante o reinado de D. Carlos, o último rei de Portugal assassinado em 1908. Em 1995 o Castelo da Pena  foi classificado pela UNESCO como Paisagem Cultural, Património da Humanidade.

Palacio da Pena – Foto de Tania Fonseca (Wikipédia)

O Palácio da Pena não seria um local completo sem um jardim, ou melhor, um parque, o Parque da Pena; nele você pode fazer passeios de charrete a partir do mês de agosto. É uma maneira de você despistar a quantidade de turistas que se aglomeram no Palácio da Pena. Durante o inverno os dias são mais curtos mas nem por isso o local deixa de ser admirável; e a quantidade de turista é menor.

Palacio da Pena – Foto de Kátia Pinheiro (Arquivo Pinheiro)

Os passeios de charretes no verão pelos jardins podem custar 35 euros e demora em torno de 45 minutos. Mas este é o único jeito de contemplar e ver realmente tudo o que Palácio da Pena tem a lhe oferecer. Se você optar por contratar um serviço de turismo com guias especializados, poderá informar-se no hotel em que estiver hospedado. Há um serviço de ‘Vans’ que busca os turistas nos hotéis, o ponto de partida para o passeio turístico ao Castelo da Pena é o Parque Eduardo VII na Praça Marquês de Pombal, Lisboa. O preço varia em cerca de 60 euros  por pessoa por meio período (parte da tarde) de passeio.