Para quem adora visitar museus, o Museu da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, é muito mais do que interessante. São 7.500 peças em seu acervo, sendo que as mais antigas, são datadas do século XVIII. Estes objetos ajudam a contar a história da primeira instituição de saúde da capital paulista,  onde fica o maior hospital beneficente da América Latina. O prédio da Santa Casa de Misericórdia por si só já é uma verdadeira obra de arte, em estilo gótico e  tijolos aparentes; foi inaugurado em 1884 com projeto do arquiteto Ramos de Azevedo, e destaca-se como uma dos mais belos edifícios da capital  paulista.

O museu fica situado antiga clausura de freiras,  ala até pouco tempo atrás proibida para visitação, e conta com mais 8 alas específicas.  A exposição conta a evolução da Medicina em São Paulo por meio de objetos  utilizados no dia a dia da irmandade, instalada na capital há mais de 400 anos. A ala mais procurada do museu recebe cerca de 30 visitantes por dia, principalmente estudantes de Medicina e Farmácia – é a dedicada ao acervo médico, que conta com  1.800 peças entre macas de palha da década de 1920, balança pediátrica do século XIX, máscaras para anestesia geral feitas de metal, etc.

Uma das grandes atrações da exposição é a  Roda dos Expostos – móvel que por 125 anos (entre 1825 e 1950) recebeu crianças abandonadas. Enquanto funcionou, mais de 4.000 crianças foram deixadas dentro da roda – que tinha saída para a rua -, para serem recebidas no orfanato da instituição.

O museu da Santa Casa de Misericórdia fica na Rua Doutor Cesário Mota Júnior, 112, Centro de são Paulo –  Funciona de segunda a sexta-feira, das 9 às 18 horas. A entrada é gratuita. Mais informações no site da Santa Casa.

* O acervo do Museu é só para visitação e não para pesquisas, o acervo não tem Biblioteca;

* Não é permitido entrar com sacolas e nenhum outro volume que coloque em risco as peças do museu;

* É proibido fotografar e filmar com ou sem flash;

Fonte e Imagem: Estadão