Criança pode viajar sozinha no avião? É a pergunta que a maioria dos pais fazem quando chega a época de férias e não podem por algum motivo viajar junto com os filhos. A resposta para a pergunta, é sim, a criança pode viajar sozinha no avião.

Pelo sei,  crianças com menos de 5 anos podem viajar somente acompanhada dos pais ou responsável, que neste caso precisaria apresentar uma autorização do juizado de menores com datas de ida e volta e firma reconhecida em cartório pelos pais.

De 5 à 12 anos incompletos, a criança poderá viajar sozinha, desde que possua a documentação referida acima, do juizado de menores, onde os pais autorizam a viagem.

Agora na minha opinião a questão não se atêm somente ao ‘legal’ ou ‘jurídico’ da questão sobre  poder viajar sozinha. O pai, ou a mãe, deve ter noção e essencialmente conhecer o filho ou a filha que tem, e portanto saber se ao embarcar uma criança de 6, 7 ou 8 anos sozinha num vôo de mais de 10 horas, a mesma não causará transtorno no vôo, para a tripulação e para os passageiros.

Eu quase sempre tento ser imparcial aqui no blog, muitos pais que lerem isso provavelmente ficaram indignados, mas ocorre que eu própria já fiz 3 vôos internacionais com mais de 11 horas de duração, tendo ao meu lado crianças pequenas e que em todas as vezes tiveram todo o tipo de comportamento possível e imaginável que uma criança sozinha nesta idade venha a ter; desde chorar o vôo inteiro por terem medo e se sentirem inseguros, desde ficarem o tempo todo gritando e chamando pela mãe ou pai (que não estavam no vôo), até passarem mal do estomago devido ao vôo e sujar tudo e todos a sua volta.

Enfatizo com conhecimento de causa que em nenhum destes 3 vôos que fiz, vi os membros da tripulação “se lembrarem” de que alí havia uma criança pequena, e que principalmente esta criança não era responsabilidade do passageiro ao lado. Eu não pago 1.600,00 U$ ou mais numa passagem aérea internacional, para ter de passar um vôo de 11 horas a tomar conta de uma criança que não é minha, que me desculpem os pais e as companhias aéreas.

Os pais antes de se aventurarem a embarcar um filho para uma viagem deste gênero têm de se certificar que a criança tem maturidade emocional para ‘encarar’ um vôo sozinha. Para além da criança ter que ser independente, ou seja, saber comer sozinha e ir a casa de banho, é preciso saber se a criança é insegura, se chora por qualquer motivo, se quando a mãe se atrasa para ir busca-la na escola ela chora, etc…etc…etc.

Antes de comprar as passagens, entre em contacto com a companhia aérea e tire todas as suas dúvidas sobre a política que ela adota para transportar crianças desacompanhadas, mas não conte que o seu filho terá um comissário de bordo a disposição em tempo integral, porque isso não correrá.

No mais,  penso que vale usar o bom senso e essencialmente ser honesto consigo próprio e se perguntar: Meu filho ou filha é capaz de viajar sozinho, sem medo e sem dar trabalho aos outros? 😉

Eu não arriscaria!