Muitos dizem que São Paulo é apenas uma grande metrópole, feia, cinzenta e sem brilho algum, mas a verdade é que muitos também desconhecem o passado glorioso da cidade mais rica do Brasil, e atualmente o maior pólo financeiro da América Latina. A capital paulista é recheada de pontos emblemáticos, históricos, curiosos e pitorescos. Em cada canto uma história, uma lenda urbana, um registro de grandes obras, muitas delas realizadas por imigrantes europeus que lá desembarcaram em busca de prosperidade.

Assim começa a história do Edifício Martinelli, que recebe com visitas préviamente agendadas,  grupos turistas de todo o mundo. Em 1889 chega a São Paulo, o imigrante Italiano Giuseppe Martinelli com o sonho de fazer fortuna na América. Não era América do Norte, era América do sul, mas vá lá, milhares de imigrantes chegavam a São Paulo com esse sonho e onde centenas fizeram grandes fortunas, dentre eles o jovem Giuseppe Martinelli.

Giuseppe, após 20 anos já tinha construído um patrimônio considerável, e ávido por deixar um legado mais permanente de seu trabalho, além de sua importante empresa de navegação em Santos, o então já Comendador Martinelli,  decide erguer na cidade São Paulo o mais alto arranha-céu da América do Sul, o Edifício Martinelli.

edificio-martinelli
Edifício Martinelli – Fotos Site Oficial – Direitos Reservados ©

Grande polêmica se formou, dado que a cidade naquela época apenas possuía edifícios com no máximo 5 andares, porém a construção do Prédio Martinelli deu-se em início de 1924, levando avante um projeto que pretendia construir um prédio com mais de 100 metros de altura, inicialmente apenas com 12 andares. O local escolhido era um dos pontos mais nobres e caros da cidade, entre as ruas São Bento, Líbero Badaró e avenida São João.

Toda a envolvência da construção foi detalhadamente pensada e criada por grandes profissionais na área de construção civil, contando com a colaboração de mais de 600 operários. Sendo 90 artesãos, italianos e espanhóis, que cuidavam do esmerado acabamento. O comendador investiu em materiais nobres como mármores importados da Europa, espelhos e cristais Tcheco, papéis de parede especiais, etc.

A construção foi demorada e o comendador Martinelli entusiasmado com  a obra passava a desejar um prédio ainda maior, e cada vez mais acrescentava mais andares ao projeto. Ao fim contou com 30 andares, sendo os 5 últimos andares destinados a sua residência. Foi entre 1934 e 1947 o maior arranha-céu do país e, durante um tempo, o mais alto da América Latina.

Já na década de 1960, o Edifício Martinelli entra em total decadência, foi invadido por pessoas de baixa renda,  transformando-se  num dos lugares mais tenebrosos para se viver; sendo inclusive palco de alguns crimes que tiveram grande impacto na sociedade paulistana.

A história do Edifício Martinelli é longa e eu sugiro uma visita ao site oficial caso tenha interesse em conhecer mais.

O Prédio Martinelli é tão grandioso que possui três entradas:
– R. São Bento, 397 a 413
– Av. São João, 11 a 65
– R. Libero Badaró, 504 a 518

Horários:
Seg a sexta 9:30 as 11:30 e 14:00 as 16:00
Sabados das 9:00 as 15:00 e domingos das 9:00 as 13:00

Entre em contato pelo Tel: (11) 3104-2477