Hoje o Bigviagem traz para vocês mais um artigo do nosso colaborador Pedro B. que vos dará uma visão sobre Lisboa numa perspectiva diferente. Muitas pessoas acham que Lisboa é só história antiga, mas engana-se, Lisboa tem muitas vertentes e quase sempre surpreendentes pela positiva.

Infelizmente em Lisboa, e em muitos outros locais de Portugal, o que não faltam são prédios devolutos, os motivos são os mais variados, o dono faleceu e não tem herdeiros, os herdeiros estão em luta judicial para saber com quem fica a parte melhor da herança , um dos herdeiros se recusa a assinar documentos para liberação do prédio, e por aí vai. Felizmente, na minha opinião, grandes artistas decidiram mostrar sua arte nas fachadas destes prédios devolutos. Eu gosto, e você? Bem, vamos ao artigo de Pedro B. abaixo…. 😉

A art-appeal de Lisboa

Como morador e cidadão da cidade de Lisboa sinto-me um privilegiado quando percorro as suas ruas e sou impactado pelas inúmeras pérolas de arte urbana que ao longo dos últimos anos tem invadido as suas fachadas de prédios e estruturas abandonadas.

Foto de Stick2target - Fonte Alexandre Farto
Foto de Stick2target – Fonte Alexandre Farto

A obra que vos apresento em cima cruza-se comigo quando pego na minha bicicleta para fazer os quilómetros que o meu corpo me pede quase diariamente. Fico sempre entusiasmado quando passo por ela e não consigo deixar de esboça um sorriso entrecruzado com um “ohhh” de admiração. Sou mesmo um sortudo não acham?

Ao longo dos últimos 10 anos a arte urbana ganhou um fôlego impressionante. Hoje em dia este tipo de arte concentra grande parte da atenção não só da comunidade artística, mas também do público em geral. Embora seja um fenómeno com alguns anos, a sua verdadeira afirmação só se deu no início deste século, a reboque de um conjunto de artistas, cuja obra mais notável foi da responsabilidade do artista de rua inglês Banksy.

Bansky-Flower
Fonte: Popular Resistance

O legado de Banksy não é só gráfico. As suas intervenções contêm mensagens poderosas e universais, capazes de nos tocar a todos, impregnadas de uma atualidade e contemporaneidade pensadas para resistir ao tempo e para nos fazer rir e sorrir. E esta comicidade faz com que a fruição do objeto de arte seja um momento de verdadeiro prazer, retirando a aura de sacralização que envolve as obras-primas.

Tornaram-se uma espécie de clássicos instantâneos e, de alguma forma, revolucionaram o mundo da arte, pois, não só, foi capaz de catapultar uma nova classe de artistas que viviam na clandestinidade, como também acrescentaram, como nenhum outro artista ou movimento artístico, a noção de efémero à arte. Faz sentido pensar em arte de rua que dure para sempre? Penso que não, e isso acrescenta uma noção interessante quer à obra, quer ao próprio momento de arte.

E felizmente para mim e para todos os Lisboetas, a nossa cidade está muito bem apetrechada destas obras efémeras e que certamente vão ser um dos fatores que caracterizam a Lisboa do início do século XXI. Felizmente também para a grande quantidade de turistas que hoje em dia usufruem das belezas e prazeres desta cidade, na qual, tenho a certeza, junto aos pasteis de Belém, ao mosteiro dos Jerónimos e outros ícones conhecidos, a arte urbana também é um dos principais chamarizes e responsável pela construção de um imaginário universal da cidade de Lisboa.

Fonte: Alexandre Farto
Fonte: Alexandre Farto

O mais notável dos artistas de arte urbana portugueses é, sem dúvida, Vhils. Detentor de uma técnica revolucionária e original, Vhils vai destruindo as paredes até elas formarem imagens verdadeiramente impressionantes e poderosas como esta aqui em cima. Reconhecido em todo o mundo, Vhils é, nos dias que correm, um fenómeno mundial, com obras presentes nas principais cidades e com exposições e monografias dedicadas à sua obra. Cruzo-me com várias diariamente e não consigo deixar de olhar para elas sempre com renovada admiração e espanto. Não resisto em colocar mais um exemplo da sua obra neste artigo.

art-appeal-rua
Fonte: Alexandre Farto

Esta relação íntima da cidade de Lisboa com a arte urbana teve um grande impulso com a intervenção de uns artistas brasileiros numa das suas principais avenidas, a convite da câmara municipal e Lisboa. Os Gêmeos presentearam a nossa cidade com intervenções impressionantes em edifícios abandonados. Quando as vi pela primeira vez, fiquei absolutamente impressionado. Estas intervenções ainda hoje existem e caracterizam a cidade de Lisboa.

Lisboa-art-appeal
Fonte: The Guardian

Desde então a arte urbana tem florescido a uma velocidade impressionante em Lisboa. O seu reconhecimento por parte das autoridades e do poder político também é evidente e a reboque deste novo fôlego têm surgido artistas e intervenções de cortar a respiração.

Urban-Art-lisboa
Fonte Urban Art Photos – C215 ©

E quem ganha com isso somos todos nós. Os que moramos em Lisboa, pois temos uma cidade muito mais bonita, e os que vêm visitar Lisboa que usufruem de uma nova dimensão de Lisboa… e tudo isto gratuitamente, sem filas e muitas vezes fruto de um acaso.

urban-arte
Fonte: Obvious

Aproveitemos, portanto, este momento único da cidade de Lisboa, pois o efémero desta arte irá fazer com que estas obras-primas em breve se transformarão apenas em memórias ou pixéis de uma imagem captada para a posteridade.

art-urban-jose-saramago
Fonte: Trek Earth
1- Fonte: Parqmag 2- Fonte: Urban Photos 3- Fonte: Lilablogade
1- Fonte: Parqmag
2- Fonte: Urban Photos
3- Fonte: Lilablogade

É o “art-appeal” de Lisboa que está ao rubro!

arte-urbana-lisbon
Fonte: Wander Tooth