Viagens, Turismo e Férias - Diversos

Viajar através de gerações – Quais as diferenças atuais

Viajar através de gerações – Quais as diferenças atuais
5 (100%) 2 votos

A eDreams, maior agência de viagens online da Europa, recentemente realizou o estudo “Viajar através de gerações” que contou com a participação de mais de 13.000 viajantes de todo o mundo. Este estudo analisou as principais diferenças nas tendências de viagem entre os jovens com idades entre os 18 e 29 anos, designados de “Millennials” e indivíduos com mais de 50 anos, os “Baby Boomers”.

Algumas das conclusões do estudo “Viajar através de gerações” descobriu que os jovens portugueses conhecem já mais destinos que os indivíduos com mais de 50 anos e viajam mais  dentro de Portugal, enquanto os viajantes mais velhos optam por conhecer outras cidades Europeias.

Viajar através de gerações - Quais as diferenças atuais

A análise da eDreams identifica ainda que a primeira viagem dos Baby Boomers portugueses foi, em média aos 16 anos, enquanto os Millenials nacionais iniciaram as suas viagens antes dos cinco anos de idade, três vezes mais cedo que os seus pais. Já em termos europeus, para os Baby Boomers iniciaram as suas viagens aos 19 anos e os Millenials aos 9, em ambos os casos mais tarde que os viajantes lusos.

Viajar através de gerações - Quais as diferenças atuais

A eDreams revela ainda que, em média, os Baby Boomers despendem mais tempo nas suas viagens comparando com os Millennials, sendo que os primeiros admitem passar mais de 5,7 horas a deslocar-se para o destino e os segundos apenas 5,06 horas. Já quando comparado com a década passada, verifica-se uma tendência decrescente no tempo médio de viagem. Os viajantes mais jovens gastam menos 18% do tempo em viagem, enquanto os turistas mais velhos afirmam que o tempo de viagem registou um decréscimo significativo de 22%.

Viajar através de gerações - Quais as diferenças atuais

As viagens ao estrangeiro passam a ser a regra

Dada a facilidade como que os viajantes podem agora reservar férias em destinos longínquos, é fácil esquecer que nem sempre foi tão simples conhecer o mundo. O número de chegadas internacionais andava pelos 25 milhões em 1950, mas cresceu até um número estimado de 763 milhões em 2004, segundo a Organização Mundial do Turismo

No que respeita às viagens em território nacional, também se verifica um crescimento considerável, o que revela a preocupação dos turistas nacionais em conhecer as diferentes cidades e culturas do seu País.

Segundo os dados da eDreams, 70% dos Baby Boomers admite ter viajado em criança em território continental, face a 77% dos Millennials, com estes últimos a manter a tendência de viagem em território nacional, enquanto os turistas com idades superiores a 50 anos, denominados de Baby Boomers, optam por fazer viagens mais frequentes para outras cidades no Continente Europeu.

Viajar através de gerações - Quais as diferenças atuais

Meios de transporte são algumas das mudanças mais significativas entre ambas as gerações

No que respeita ao veículo de transporte, para os Baby Boomers o carro é o veículo de eleição, seguido do avião. Já os meios mais tradicionais, como o comboio e o autocarro, são os meios de transporte menos utilizados pelos inquiridos.

Quanto aos Millennials, as preferências no que respeita aos meios de transporte utilizado para a realização das viagens revela-se diferente, com a grande maioria dos inquiridos a admitir que há dez anos a escolha recaia no seu próprio carro, o que faz com que se verifique uma maior tendência para viagens em território nacional, enquanto atualmente, 95% dos utilizadores admite viajar mais de avião e 33% revela viajar mais de comboio. Já para 29% dos jovens, as viagens de autocarro revelam-se cada vez menos prováveis.

Viajar através de gerações - Quais as diferenças atuais

**Estudo conduzido pelo One Poll. 13.000 Inquiridos provenientes de oito países – 2.000 de cada um dos seguintes países: Reino Unido, Estados Unidos da América, Espanha, França e Alemanha; e 1.000 de cada um dos seguintes: Suíça, Portugal e Itália.



Deixe Comentário

Insira Por favor o resultado, para poder avançar