Pastéis de Belem - Embalagem Homenagem ao Fado © - 2011

A gastronomia portuguesa é famosa mundialmente e dentro deste mote destacam-se os doces portugueses que estão intimamente ligados ao turismo em Portugal. Os doces portugueses são famosos mundialmente e é um dos grandes atrativos deste país apaixonante que é Portugal. Quem nunca ouviu falar dos maravilhosos Pastéis de Bélem? Atualmente a pastelaria que fabrica os Pastéis de Bélem é um dos pontos turísticos mais famosos de Lisboa.

Pastéis de Belem - Embalagem Homenagem ao Fado © - 2011

Os nomes dos doces portugueses são os mais inusitados e muitos deles levam nomes e alcunhas relacionadas a padres, freiras, conventos, céu, e santos. Dizem  que muitos dos nomes destes doces estão  intimamente relacionados a vida amorosa de algumas freiras que segundo o grande o historiador Paulino Mota Tavares, autor do livro ‘Doces e Amores do século XVII’, iam para a vida religiosa não por vocação e sim por não ter mais nada na vida, dado que as heranças eram dadas aos primogênitos; restando às filhas serem enclausuradas nos conventos. Então não havendo a vocação religiosa,  era comum que estas freiras jovens e bonitas se envolvessem  com nobres, soldados e até mesmo com outros religiosos.

Fios de Ovos - Foto de LipeFontoura - Wikipédia

A famosa doçaria conventual, ou seja doces confecionados nos conventos, quase sempre tem em seus ingredientes muito açucar e muitas gemas de ovos, para além das amêndoas, do leite e  da canela. Contam alguns historiadores que as freiras utilizavam muitas claras para engomar o hábito e portanto as gemas eram dispensadas, pensando nisso e para se evitar o desperdicio, as gemas passaram a fazer parte da maioria dos doces; que aliás são os melhores do mundo. Dizem também que nos séculos XVIII e XIX, Portugal era o principal produtor de ovos do mundo, consequentemente o maior exportador de claras para países vizinhos, dado que a clara é um elemento purificador na fabricação do vinho branco; sendo assim o que mais sobrava na altura eram as gemas.

A doçaria conventual em Portugal teve origem no século XV e as receitas foram passadas através dos séculos com todo o sigilo exigido, desde então muitas histórias permeiam este universo mágico, e os nomes de doces como Beijos de Freira, Barriga de Freira, Pescoço de Freira, instigam o imaginário das pessoas.

O certo é que a produção dos doces conventuais traduziam-se numa fonte de renda para o convento e para as freiras; sendo assim rapidamente se transformaram numa importante fonte de renda para muitas cidades de Portugal, e assim a fama conquistou o mundo. Cada região de Portugal tem seus doces típicos, e os mesmos podem ser encontrados em pastelarias locais ou em grandes festas populares tradicionais que se realizam de tempos em tempos. A lista de doces conventuais é extensa e abrange todas as regiões de Portugal. Saliente-se, aínda, que a confecção de um determinado doce pode variar consoante a região, e o convento de origem.

Muitos destes doces foram trazidos para o Brasil juntamente com a colonização portuguesa, mas eu garanto de que nenhum deles consegue chegar aos pés dos doces produzidos em solo português.  Este é mais um motivo para querer conhecer Portugal e se aprofundar nesta cultura milenar   que tantas coisas boas nos traz seja na gastronomia, no turismo ou na história.

Saiba mais em: – Revista de História

Seleção de doces conventuais por região de Portugal:

* Minho

* Distrito de Braga: Amares, Barcelos, Braga, Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Esposende, Fafe, Guimarães, Póvoa de Lanhoso, Terras do Bouro, Vieira do Minho, Vila Nova de Famalicão, Vila Verde.

* Distrito de Viana do Castelo: Arcos de Valdevez, Caminha, Melgaço, Monção, Paredes de Coura, Ponte da Barca, Ponte do Lima, Valença, Viana do Castelo, Vila Nova de Cerveira.

– Pasteis de São Francisco
– Bolachas do Bom Jesus
– Suspiros de Braga
– Clarinhas de Fão
– Barrigas-de-Freira

Douro Litoral

* Distrito de Aveiro: Arouca, Castelo de Paiva, Espinho, Santa Maria da Feira.

* Distrito do Porto: Amarante, Baião, Felgueiras, Gondomar, Lousada, Maia, Marco de Canaveses, Matosinhos, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel, Porto, Póvoa de Varzim, Santo Tirso, Valongo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia.

* Distrito de Viseu: Cinfães, Resende.

– Tabafe
– Pescoços de freira
– Cavacas de Santa Clara
– Amarantinos
– Pão podre
– Foguetes de Amarante

Trás-os-Montes
* Distrito de Bragança e o Distrito de Vila Real.

Beira Litoral

* Distrito de Aveiro: Águeda, Albergaria-a-Velha, Anadia, Arouca, Aveiro, Estarreja, Ílhavo, Mealhada, Murtosa, Oliveira de Azeméis, Oliveira do Bairro, Ovar, São João da Madeira, Sever do Vouga, Vagos, Vale de Cambra.

* Distrito de Coimbra: Arganil, Cantanhede, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Figueira da Foz, Góis, Lousã, Mira, Miranda do Corvo, Montemor-o-Velho, Penacova, Penela, Poiares, Soure.

* Distrito de Leiria: Alvaiázere, Ansião, Batalha, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Leiria, Pedrógão Grande, Pombal.

* Distrito de Santarém: Ourém.

– Nógado de Semide
– Lampreia de ovos das Clarissas de Coimbra
– Melícias
– Trouxas de ovos moles
– Manjar Branco
– Pastéis de Tentúgal

Ribatejo

* Distrito de Lisboa: Azambuja, Vila Franca de Xira.

* Distrito de Portalegre: Ponte de Sor.

* Distrito de Santarém: Abrantes, Alcanena, Almeirim, Alpiarça, Benavente, Cartaxo, Chamusca, Constância, Coruche, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Golegã, Rio Maior, Salvaterra de Magos, Santarém, Sardoal, Tomar, Torres Novas, Vila Nova da Barquinha.

– Sonhos da Esperança
– Sopapo do Convento
– Palha de Abrantes
– Celestes de Santarém
– Fatias de Tomar
– Tigeladas de Abrantes
– Broas das Donas

Estremadura

* Distrito de Leiria: Alcobaça, Bombarral, Caldas da Rainha, Marinha Grande, Nazaré, Óbidos, Peniche, Porto de Mós.

* Distrito de Lisboa: Alenquer, Arruda dos Vinhos, Cadaval, Cascais, Lisboa, Loures, Lourinhã, Mafra, Oeiras, Sintra, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras.

* Distrito de Setúbal: Alcochete, Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal.

– Castanhas de Ovos
– Marmelada Branca de Odivelas
– Toucinho do Céu de Odivelas
– Pão-de-Ló de Alfeizerão
– Nozes de Cascais
– Pastéis de Belém
– Pastéis de Feijão
– Pão-de-ló do Mosteiro de Alcobaça
– Argolinhas

Alentejo

* Distritos de Portalegre, Évora e Beja, e a metade sul do distrito de Setúbal.

– Orelhas de Abade
– Sopa dourada de Santa Clara
– Toucinho do Céu de Santa Clara de Portalegre
– Bom bocado
– Encharcada
– Sericaia
– Pão de rala
– Formigos
– Tiborna de Ovos
– Torrão Real de Ovos
– Bolo Fidalgo

Algarve

-Biscoita
-Bolo de alfarroba
– Bolo de chila e amêndoa
– Bolo de amêndoas e nozes
– Bolo de figo e amêndoa
– Doce fino
– Folar
– Filhós algarvias das freiras de Tavira
– Morgado
– Queijo de figo

Ilha da Madeira

– Bolo preto
– Bolos de mel da Madeira
– Bolinhos de azeite
– Mexericos de freiras
– Rabanadas de Vinho da Madeira
– Frangolho
– Creme de chocolate madeirense

Açores

– Bolo micaelense de Nossa Senhora da Esperança
– Bolo do diabo
– Hóstias de amêndoa
– Malassadas
– Rendilhados
– Coquinhos
– Cornucópias
– Pudim Irmã Bensaúde