Hoje o Bigviagem conta mais uma vez com a participação de Pedro B., nosso colaborador em alguns dos últimos artigos. Desta vez, devo dizer,  que na minha opinião Pedro B. se superou.  O artigo conjuga várias situações relacionadas a viagens, romance e carnaval; mais brilhante não poderia ser. Eu adorei, agora é a vez de vocês se deliciarem com este texto inteligente e muito bem humorado!

(Dia de São Valentim + Carnaval) – Lei de Murphy = Viagem perfeita

O próximo fim de semana adivinha-se como festivo e romântico, fruto da conjugação da celebração do carnaval e do dia de São Valentim, vulgo dia dos namorados. É o que se chama um “fim de semana de arromba” com motivos mais do que suficientes para cometer algumas loucuras. Porque não incluir a possibilidade de uma viagem?

Instintivamente fui assaltado por essa possibilidade enquanto guiava o meu carro entre os inúmeros afazeres diários que ditam o meu dia-a-dia. Pensava em finalmente oferecer-me aquela viagem descomprometida e orientada apenas para o romance e a diversão. Nestas cogitações fui interrompido por um cronista de rádio que falava da Lei de Murphy. A Lei de Murphy foi criada pelo Engenheiro aeroespacial norte americano Edward A. Murphy, e, de uma forma simples, pode ser traduzida em algo como: “Se há a possibilidade de alguma coisa correr mal, é porque irá correr mal”. Simpatizo bastante com esta formulação de lei, pois além de cómica é terrivelmente instrutiva e simples. Esta súbita intromissão da lei de Murphy levou-me automaticamente a repensar este ensejo de viajar, pois a conjugação de romance e festa pode levar a resultados muito distintos, conforme as variáveis que as compõem.

dia-de-sao-valentim-carnaval

Daí que tive de recorrer a uma equação que de alguma forma me ajudasse a escolher a melhor viagem possível para celebrar estas duas datas tão festivas, que poderão ser complementares ou absolutamente antagónicas. E porque é que é assim? Vejamos:

– O Carnaval é uma celebração em grupo;
– O dia dos namorados é uma celebração íntima e pessoal;
– O Carnaval é uma boa ocasião para descobrir um novo amor;
– O dia dos Namorados é a ocasião perfeita para confirmar os votos de fidelidade;
– O Carnaval prolonga-se em festas dançantes até de madrugada;
– O madrugada do dia dos Namorados só tem sentido acontecer num local que certamente será tudo menos público.

Jogar com todas estas variáveis e tendo a Lei de Murphy como pano de fundo, conseguem imaginar as várias receitas para o desastre que poderão surgir de uma viagem mal planeada. Por isso, recorri ao pensamento abstracto para me ajudar a planear da melhor forma possível estas importantes datas e elaborei uma equação que está reflectida no título deste artigo e que pretende responder a estas ansiedades e antagonismos resultantes da junção explosiva destas duas datas, destas duas grandes festas. A Lei de Murphy é a variável que funciona como “chamada à terra” ou se quiserem, como elemento racional em contraposição com os elementos festivos e emocionais contidos nas outras 2 variáveis.

O resultado a que cheguei, ou seja, o destino perfeito para este fim de semana é o Equador. Passo a explicar:

Comecei por enumerar possíveis destinos onde a comemoração do carnaval é relevante, pois o dia dos namorados é possível comemorar em qualquer lado desde que esteja acompanhado. Assim sendo seleccionei os seguintes destinos e combinei as variáveis (dia dos namorados e carnaval) com os locais, dando notas a cada uma das variáveis.

1. Rio de Janeiro (Brasil) – 5 namorados + 10 carnaval = 15
2. Veneza (Itália) – 8 namorados + 8 carnaval = 16
3. Nice (França) – 6 namorados + 8 carnaval = 14
4. Ptuj (Eslovénia) – 5 namorados + 6 carnaval = 11
5. Dubrovnick (Croácia) – 10 namorados + 6 carnaval = 16
6. Basileia (Suíça) – 6 namorados + 5 carnaval = 11
7. Tóquio (Japão) – 7 namorados + 5 carnaval = 12
8. Quebec (Canadá) – 4 namorados + 7 carnaval = 11
9. Quito (Equador) – 8 namorados + 7 carnaval = 15
10. Goa (índia) – 7 namorados + 7 carnaval = 14

Logo a seguir introduzi a variável Lei de Murphy que irá subtrair ao resultado da adição das 2 primeiras variáveis (procedo a explicações abaixo):

1. Rio de Janeiro (Brasil) – 5 namorados + 10 carnaval = 15 – (5+0) = 10

Carnaval no Rio de Janeiro é a maior festa do mundo, em pleno verão. Altura ideal para assumir todas as nossas loucuras. Perfeito para festa, desastroso para dia dos namorados, onde a concentração tem apenas o sentido da minha companhia. A grande festa do carnaval carioca é muito mais do que isso e vale a pena vivê-la integralmente, daí a Lei de Murphy ter anulado o dia dos namorados e não aparecer na carnaval.

2. Veneza (Itália) – 8 namorados + 8 carnaval = 16 – (2+6) = 8

Parece que o Carnaval é a altura em que Veneza fica mais cheia. Conseguem imaginar Veneza ainda mais cheia do que costuma ser? Deve ser um pesadelo. No entanto, pela sua arquitetura e história Veneza é o mais romântico dos locais, perfeito para namorar. O Carnaval, embora especial, não me parece muito espontâneo. Pelo contrário, as suas imagens revelam uma sofisticação de máscaras só ao alcance de alguns. Embora tenha alguma magia, não me atrai muito. Prefiro uma Veneza sem Carnaval. E além é Inverno.

3. Nice (França) – 6 namorados + 8 carnaval = 14 – (2+1) = 11

Não conheço este carnaval, mas pelo facto de se passar no sul de França, ganha logo uns créditos. Nice é uma cidade sofisticada e perfeita para o romance. O Sul de França contrasta brutalmente com o resto do país e por isso a festa estará sempre garantida.

4. Ptuj (Eslovénia) – 5 namorados + 6 carnaval = 11 – (2+2) = 7

Nunca tinha ouvido falar, mas pelo facto de ser na Eslovénia é para mim um motivo de curiosidade. Eslovénia é a parte industrializada da antiga Jugoslávia. Perto de Itália e da Áustria e Hungria, os Eslovenos são os menos jugoslavos de todos os Jugoslavos, mas não o deixam de ser e um carnaval na antiga Jugoslávia tem de ser sempre um motivo de interesse. Quanto ao romance, não conheço a cidade de Ptuj, mas prevejo que seja pequena e tenha poucas coisas para fazer, para alem de estarmos em pleno inverno). O quarto de hotel teria de ser magnífico.

5. Dubrovnick (Croácia) – 10 namorados + 6 carnaval = 16 – (2+2) = 12

Dubrovnick é uma cidade linda e romântica ao nível de Veneza. Os croatas são ex-jugoslavos e portanto sabem divertir-se. Parece-me uma combinação explosiva para este fim de semana.

6. Basileia (Suíça) – 6 namorados + 5 carnaval = 11 – (2+3) = 6

Os Suíços são um povo extraordinário. Eficazes, produtivos, implacáveis, frios e rigorosos. Conseguem imaginar um carnaval Suíço? Eu não. Mas os Alpes e a neve são um cenário muito romântico.

7. Tóquio (Japão) – 7 namorados + 5 carnaval = 12 – (1+5) = 6

Parece que se comemora o carnaval em Tóquio com grandes desfiles de carros alegóricos, muito samba e muita festa. A sério? Em Tóquio? Mas vale ir para o Rio de Janeiro. No entanto tenho um fascínio por Tóquio, a maior de todas as metrópoles. Romântica? Não interessa. Gostava de levar lá a minha cara metade, preferencialmente fora da época do carnaval.

8. Quebec (Canadá) – 4 namorados + 7 carnaval = 11 – (1+0) = 10

No Canadá comemora-se um carnaval assumidamente frio. Parece que é o melhor carnaval gelado do mundo e só esse epíteto merece toda a minha aprovação e simpatia. Estamos no hemisfério norte, no pino do Inverno. Porque é que temos de celebrar o carnaval como se celebra no Brasil em pleno verão? Como português farto-me de rir quando vejo imagens de carnavais no norte de Portugal, com temperaturas próximas dos 0 graus negativos (e em alguns casos mesmo abaixo) em que assistimos a corpos descascados, brancos quase transparentes e com as veias azuis e a pele de galinha a sobrepor-se à fantasia de carnaval. Não faz sentido. Carnaval gelado faz todo o sentido. No entanto para namorar, não me parece ideal.

9. Quito (Equador) – 8 namorados + 7 carnaval = 15 – (1+0) = 14

Pais perto do Brasil, relativamente inexplorado e com calor. O Equador tem de ser um pais romântico nem que seja pela sua própria situação de ser atravessado pela linha do equador. E devem saber divertir-se no Carnaval. Muito interessante.

10. Goa (índia) – 7 namorados + 7 carnaval = 14 – (1+0) = 13

Carnaval e Índia são ingredientes de um prato que nunca me ocorreriam, mas parece que existe e Goa é a sua Meca. Embora esteja no hemisfério norte, encontra-se numa zona tropical e por isso o frio não deve ser um problema. A mistura das tradições Hindus com a festa do carnaval é capaz de ser um coisa bem interessante. E Goa, uma cidade muito romântica. Índia tem o problema dos saneamento básico e da miséria social, mas neste caso penso que não seriam grande problema.

E o leitor? Onde passaria este fim de semana de arromba que se avizinha?